Enfermeira Israelita Amamenta Bebé Palestiniano, e Prova Que a Compaixão é Maior Que a Guerra

Uma enfermeira israelita ofereceu-se para amamentar um bebé palestiniano, cuja mãe estava internada em estado crítico, depois de um acidente de trânsito.

A foto do gesto solidário ficou viral nas últimas horas nas redes sociais, e está a comover mundo.

Mãe de três crianças, a enfermeira Ula Ostrowski-Zak segurou Yaman, de apenas 9 meses. A criança não aceitava leite, e ficou sem comer durante sete horas. O estado de saúde do bebé piorou e, quando familiares do bebé pediram ama de leite, a enfermeira ofereceu-se “sem pensar duas vezes”, como ela mesma contou, a oferecer seu próprio leite.

“As tias do bebé ficaram surpresas por uma judia ter concordado em amamentá-lo, mas eu disse que qualquer mãe faria isto. Elas abraçaram-me e me agradeceram”, explicou Ula, que alimentou a criança cinco vezes durante a noite.

“Ele acomodou-se confortavelmente nos meus braços, fechou os olhos, em paz, e adormeceu. Foi natural”, conta a enfermeira.

Ao deixar o seu turno, depois de ter ficado 24 horas acordada, Ula fez um apelo num grupo de Facebook por mães de Jerusalém que pudessem amamentar a criança. Dezenas de mulheres responderam ao post, e ofereceram-se para ceder o leite materno ,ou simplesmente cuidar do bebé.

O pai de Yaman acabou por morrer vítima do acidente na noite de sexta-feira. A mãe, com uma grave lesão na cabeça, ficou impossibilitada de amamentar o filho, que também foi internado.

A família está a ser tratada no Hospital Hadassah Ein Kerem. Este gesto é um contraste claro ao histórico, violento e interminável conflito entre Israel e Palestina, que assola a região do Médio-Oriente.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO