Assistente Social Conhecido Como Forreta Deixou 11 Milhões Para Caridade

Um assistente social norte-americano conhecido por ser frugal com o dinheiro surpreendeu colegas e amigos ao deixar 11 milhões de dólares (9,6 milhões de euros) para associações de caridade infantil no seu testamento.

Alan Naiman, que morreu no início deste ano aos 63 anos, foi funcionário de um banco até ter decidido mudar de profissão e tornar-se assistente social, em Seattle.

Nunca casou nem nunca teve filhos mas sempre mostrou sensibilidade e compaixão por crianças. Recebeu em sua casa algumas crianças órfãs e cuidou de um irmão, Daniel, que tinha deficiências.

Alan era conhecido por manter um estilo de vida simples. Comprava roupa em retalhistas de baixo preço, às vezes até em supermercados, remendava sapatos com fita cola e fazia compras à hora de fecho dos establecimentos para conseguir os melhores preços, poupando dinheiro onde podia. Só se prestou a um luxo, um carro desportivo Scion FR-S, que comprou em 2013, quando o seu irmão Daniel morreu.

 
Shashi Karan foi colega de Alan quando este trabalhava na banca e mantiveram-se amigos. Karan foi a pessoa que Alan escolheu para ajudar a tratar do seu testamento e era das poucas pessoas que sabia da sua fortuna.

À CNN explicou que para Alan tinha recebido uma pequena herança do pai, o que facilitou a poupança, e que sempre soube que ia deixar tudo para caridade. Além disso, indicou Karan, poupar não era um sacrifício para Alan, era um hobby. “Poupar dinheiro era uma espécie de desafio para ele. Costumava gabar-se de passar um dia inteiro a passear sem gastar um único cêntimo”, indicou Karan.

Alan foi diagnosticado com cancro, no ano passado, e a partir dessa altura começou a pesquisar associações de caridade para ajudar.

Uma delas, a Pediatric Interim Care Center, publicou uma homenagem ao seu benfeitor, indicando que o dinheiro que Alan deixou permitiu cobrir totalmente o custo do edifício onde trabalham.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO