Menino Cego Treina e Compete Com Cavalo Que Também é Invisual

A relação de Gabriel Luiz Ottoni, de 10 anos, e ‘Pé de pano’, um cavalo da raça quarto de milha, é de grande cumplicidade e superação. Ambos possuem deficiência visual e, juntos, sagraram-se campeões em provas de três tambores, em Sorriso, a 420 km de Cuiabá.

“O fato de o cavalo ser cego fez com que ele se identificasse e, entre todos os cavalos da hípica, é o que ele mais gosta”, disse a dona de casa Jane Érica Pimenta, mãe de Gabriel.

Ele nasceu prematuro, aos seis meses de gestação, pesando 580 gramas, segundo a mãe. Após o nascimento, passou 100 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e precisou de doses excessivas de oxigênio para sobreviver.

No entanto, o excesso de oxigênio ocasionou o descolamento da retina, causando a deficiência visual.

Na infância, Gabriel sofreu com o preconceito e a mãe procurou instituições de apoio para conseguir lidar com as dificuldades do filho.

“Íamos ao parquinho e percebia que as outras crianças não queriam brincar com ele, se afastavam. Aí parei de levá-lo”, contou a mãe.

 
Já na escola o relacionamento é totalmente diferente. Ele recebe o apoio dos coleguinhas e também de uma auxiliar que o ajuda durante as aulas.

Em 2016, a escola foi o elo de uma relação ainda mais forte. A proprietária de uma hípica esteve na unidade escolar a oferecer aulas gratuitas de equoterapia para crianças com deficiência.

Gabriel foi escolhido para participar. No primeiro dia na hípica, com medo, o menino nem sequer se aproximou do cavalo, mas no segundo dia, a identificação foi imediata. Ele conseguiu montar o animal e dar alguns trotes.

Com quatro meses de equoterapia, ele foi convidado a participar de provas de três tambores na companhia de “Pé de pano” e dos instrutores que o acompanham, o avanço foi ainda maior. Das oito competições que participou, conquistou o primeiro lugar em três delas.

O bom desempenho chamou a atenção da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha, que lhe concedeu o título de paratleta. Gabriel também treina com outros cavalos, mas Pé-de-pano é o seu preferido.

Os treinos são realizados no mais absoluto silêncio, porque são as palmas dos instrutores que guiam cavalo e atleta.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO