Emocionante Vídeo Para Fazer Pensar Sobre o Tempo e As Pessoas Que Mais Gostamos

Um vídeo realizado pela marca de licores espanhola Ruavieja sublinha, de modo comovente, como a correria com as nossas tarefas e a constante presença das novas tecnologias tomam o lugar da nossa convivência com as pessoas que amamos.

A produção do vídeo reuniu de surpresa sete duplas de amigos e parentes de que se gostam muito. “Para ser sincero, acho que ele é o único amigo que tenho. Amigo de verdade”, diz no vídeo Juan Pedro, amigo de Juan Luis. Jone, por sua vez, diz ao amigo Raúl: “Dá para dizer que a minha vida mudou graças a ti”. “Se nãos estivesses aqui, não sei o que faria sem ti”, diz María Jesús ao filho Ramón.

Os próprios protagonistas lamentam não se verem tanto quanto gostariam. “Sempre houve a incerteza de quando nos veremos de novo”, diz Juan Pedro. “É a distância. Ele mora em Barcelona e eu em Madrid”, explica María Jesús.

No vídeo, o psicólogo Rafael Santandreu, que conduziu a conversa com as duplas, explica que nosso o cérebro está programado para não pensar no tempo que nos resta. “Assim, temos a sensação de que sempre teremos a oportunidade de fazer as coisas que nos fazem felizes”, diz ele.

“O contato com as pessoas de quem gostamos está a ser substituído pelo tempo que passamos em frente aos ecrãs, seja no telemóvel, televisão ou outros dispositivos audiovisuais. Como consequência, cada vez passamos menos tempo com as pessoas que amamos e mais tempo a olhar para ecrãs”, diz o vídeo.

Em seguida, Santandreu conta que é possível calcular quanto tempo cada dupla ainda passará junta, com base na idade de cada um e a frequência com que se veem. Quando ele revela os números, a reação é comovente.

“É muito pouco”, diz, María Jesús, ao perceber que lhe restam 81 dias e 6 horas com o filho, que afirma: “Esperava anos, não dias”. “Que terrível, hein?”, exclama Juan Luis ao saber que passará mais 3 dias e 6 horas com o amigo. “Não pode ser verdade”, diz Ana, amiga de Silvia, ao ver que, pelos dados, vão passar juntas apenas mais 44 dias e 15 horas. O vídeo ainda compara esses números com dados levantados por pesquisas segundo as quais passaremos 10 anos dos próximos 40 a olhar para ecrãs.

Em apenas 3 dias o vídeo alcançou mais 6 milhões de visualizações no YouTube. Os participantes foram selecionados através das redes sociais e apenas tinham uma ideia muito vaga do que ia acontecer.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO