Explorando a Maior Das 6.000 Cidades Fantasma Da Itália: Uma Visita a Craco

Devido a razões económicas, demográficas, ambientais ou estruturais, como a falta de conveniências modernas, a obsolescência da atividade económica local, Itália está cheia de cidades fantasma.

Conhecemos, é claro, as famosas cidades e vilas mortas da antiguidade: Pompeia, as ruínas de Roma, etc. Esses locais famosos são apenas as ruínas assombradas mais óbvias em qualquer itinerário pelo venerável país em forma de bota.

A Itália tem mais de 6.000 aldeias abandonadas, e de acordo com estimativas conservadoras, outras 15.000 perderam mais de 95% dos seus moradores. Isto é muito abandono.

No vídeo seguinte podemos explorar a “mãe de todas as cidades fantasmas”, Craco, uma vila imponente nas altas falésias de uma região conhecida como Basilicata, no sul da Itália, aninhada no peito do pé da bota.

Fundada no século VIII d.C. por colonos gregos, a vila sobreviveu à peste negra, bandos de ladrões saqueadores, e a habitual instabilidade política e conflitos internos de cidades italianas, ducados, cidades-estados, etc. antes da unificação do país no século XIX. No final, um deslizamento de terras forçou os moradores de Craco em 1991 a abandonar o local.

Já segue a FunCo no Instagram?